bailinho do latitudes, volume III

o bailinho desta semana traz para você um repertório que se aproxima desse universo musical e cultural chamado genericamente de “música eletrônica”.

como você vai ouvir, a música eletrônica feita por estas latitudes toma como base diversos saberes musicais locais. e o resultado: sabrosas e bailables misturas que, de (re)quebra, ampliam as geografias sonoras e mentais. ou seja, nesta edição, além da boa música feita em países como peru, colômbia, argentina, brasil e espanha, você vai conhecer também alguns dos projetos que se destacam na cena eletrônica mexicana. além do pessoal do plastilina mosh e do kinky, duas das bandas que intregraram um movimento conhecido comoavanzada regia, surgido nos anos 90 em monterrey (isto é, música nordestina… do méxico), você confere também o trabalho do instituto mexicano de sonido, projeto idealizado pelo dj e produtor camilo lara, e dos rapazes do nortec collective, de quem a gente tomou emprestada a imagem de destaque desta edição. quer saber mais sobre esta imagem-símbolo do nortec collective? clique aqui e leia o que diz sobre ela fritz torres, clorofila, um dos integrantes deste coletivo que foi tema de um mais do que inspirado estudo feito por josé manuel valenzuela arce sobre esta cena musical em tijuana.

confira as canções e os artistas desta semana

[spoiler title=”naranjada” open=”0″ style=”1″]

naranjada, do cd hola, chicuelos (2003) da banda mexicana plastilina mosh, grupo originário da cidade de monterrey, considerado como parte do movimento musical conhecido como “avanzada regia” ou “regiomontana”. foi formado em 1996 por alejandro rosso (guitarra/baixo/teclados/coros) e por jonas gonzález (voz/guitarra/baixo).

[media url=”http://vimeo.com/1268007″ width=”600″ height=”400″] [/spoiler] [spoiler title=”ejercicio #16″ open=”0″ style=”1″]

ejercicio #16, canção do álbum kinky (2002) da banda mexicana kinky. a banda é composta por gil cerezo (vocal), carlos cháirez (guitarra), cesar pliego (baixo), omar gongora (bateria), ulises lozano (teclados) e trabalha a partir de divertidas e altamente dançáveis misturas de cumbia, funk, música eletrônica e samba. kinky já veio ao brasil e fez o publico delirar com shows cheios de energia e boa música.

[/spoiler] [spoiler title=”fantasía de tijeras” open=”0″ style=”1″]

fantasía de tijeras, composição do álbum inka beats-iskay (2006) do dj peruano miki gonzález. o músico teve formação erudita, mas sempre pesquisou os ritmos populares. hoje seu trabalho mescla música eletrônica à afro-beat. como produtor, difunde ritmos afro-peruanos com a família ballumbrosio (músicos chinchanos) e destaca o uso do cajón peruano (instrumento de percussão) nas suas composições. fantasía de tijeras faz referência à danza de tijeras (laijas), uma tradicional dança da cordilheira dos andes onde os dançarinos (danzak) demonstram suas habilidades e representam um ritual andino.

[/spoiler] [spoiler title=”feedback” open=”0″ style=”1″]

feedback, de ojos de brujo. esta banda espanhola nasceu em 1999 e traz em suas obras influências da rumba e do flamenco. depois de lançar seu primeiro cd vengué, o grupo começou a trabalhar na auto-gestão, criando uma estrutura e uma equipe comprometida com a estética, produção e comercialização de seus próprios trabalhos. sua música se caracteriza pela riqueza de ritmos que contagiam e dão a liberdade artística da banda.

[/spoiler] [spoiler title=”ginga” open=”0″ style=”1″]

ginga, composição do álbum sudaka (2001) do percussionista e produtor musical argentino ramiro musotto. o músico tocou com diversos artistas e mesclou afro-beat à música eletrônica.sudaka traz harmonia entre cânticos indígenas, música dos pigmeus e afro-baianidades. além disso, tem participação do saxofonista argentino gato barbieri e dos músicos brasileiros lulu santos e lelo zanetti. conheça mais sobre o artista:

[media url=”http://www.youtube.com/watch?v=qeCQ5D2133s” width=”600″ height=”400″] [/spoiler] [spoiler title=”se me van” open=”0″ style=”1″]

se me van, do grupo peruano novalima, que se caracteriza pela fusão de estilos, buscando pontos de encontro entre a música afro-peruana e outros estilos musicais como o reggae, a salsa, o hip-hop, o afrobeat e o son cubano, conferindo à música afro-peruana uma roupagem mais moderna. “se me van” faz parte do cd coba coba.

[/spoiler] [spoiler title=”oye mulata” open=”0″ style=”1″]

oye mulata, do cd urban cuban (1997), da banda p18, formada por tom darna, que cria o conceito de urban cuban, em que traz percussões, música afro-cubana, funk, ritmos da américa latina em diálogo com o universo da música eletrônica.

[/spoiler] [spoiler title=”vamos los gauchos” open=”0″ style=”1″]

vamos los gauchos, do cd zorzal (2009), do argentino axel krygier. artista plástico, compositor de peças musicais para filmes, teatro, dança, além de multi-instrumentista, axel krygier, faz neste disco experimentações com variedades de sons, ambientes, programações. “vamos los gauchos” é uma composição em homenagem à cultura gaucha – póetas, escritores – que influenciaram sua formação.

[media url=”http://www.youtube.com/watch?v=7MsrNoNwUvs” width=”600″ height=”400″] [/spoiler] [spoiler title=”al ritmo de pacha” open=”0″ style=”1″]

al ritmo de pacha, do álbum all good things (2007), de pacha massive. banda formada em nova york pela colombiana maya e pelo dj, multi-instrumentista dominicano ramón nova, que mescla letras em inglês e espanhol, ritmos como a cumbia e o reggae e a música eletrônica.

[/spoiler] [spoiler title=”alocatel” open=”0″ style=”1″]

alocatel , do álbum soy sauce (2009) de mexican institute of sound, projeto do mexicano camilo lara, que trabalha a música eletrônica, folclórica, ritmos latino-americanos. nesse quarto disco da carreira, considerado mais eclético, traz cumbia, mariachi, punk, soul, ska. “alocatel”conta com a participação do rapper ad-rock, dos beastie boys.

[media url=”http://www.youtube.com/watch?v=KTmyTjUn1dA” width=”600″ height=”400″] [/spoiler] [spoiler title=”almada” open=”0″ style=”1″]

almada, do cd tijuana sessions vol. 3., do nortec collective, formado em tijuana, méxico, pelos integrantes pepe mogt, ramón amezcua, pedro gabriel beas que também se dividem em projetos particulares fussible, bostich, clorofila, hiperboreal, entrelaçando a música eletrônica com a música norteña, criando novos e bailables sonidos.

[/spoiler] [spoiler title=”más papaya” open=”0″ style=”1″]

más papaya, sidestepper, do álbum 3am (in beats we trust).com a liderança do produtor inglês richard blair, o coletivo colombiano sidestepper, vem desde os anos 90, com diferentes formações, combinando ritmos da colômbia com música eletrônica e afrobeat.

[/spoiler] [spoiler title=”la gloria” open=”0″ style=”1″]

la gloria, do cd tango 3.0 de gotan project. neste álbum, o trio radicado em paris, formado por philippe cohen solal, eduardo makariff e christoph h. müller, propõe inovar ao combinar o tango com programações de beats eletrônicos, dub jamaicano, cumbia, dirty, soul, country, o som do bandoneón, violino.

[media url=”http://www.youtube.com/watch?v=FFzk_MX1DCo” width=”600″ height=”400″] [/spoiler] [spoiler title=”reventón” open=”0″ style=”1″]

reventón, também faz parte do cd soy sauce (2009) de mexican institute of sound, de camilo lara, que também incorpora em seu trabalho o humor, a irreverência e a crítica social.

[/spoiler]

compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email