coletivo pachamãe promove conversa sobre o panorama percussivo latino-americano e o culto a são baltasar

“entender o tambor como órgão identitário do ser latinoamericano. somos tambores, portanto, resistência…”

o coletivo pachamãe, projeto de extensão vinculado ao instituto de letras da universidade federal da bahia que visa a difusão e o debate sobre arte, cultura e política na américa latina, convida para uma conversa sobre o panorama percussivo latino- americano e o culto a são baltasar. o encontro será realizado nesta terça- feira, 20 de fevereiro de 2018, com a participação o professor e músico argentino carlo seminara que às 13h estará no restaurante universitário do campus ondina da ufba para o toque de integração latino-americana. a conversa aberta a todo o público está marcada para as 14h, no ihaclab-i, paf v, campus ondina.
marque sua presença no evento do facebook. e para saber mais sobre o coletivo pachamãe, clique aqui.

 
sobre carlo seminara
seminara é professor da universidade nacional de rosário e se dedica a estudar percussão da américa latina desde 1998. estudou na argentina, uruguay, brasil, perú y cuba. alguns dos seus mestres foram: ramiro musotto (argentina, brasil) , josé luis changuito quintana (cuba), justo pelladito (cuba), marvin diz (cuba, estados unidos), tony urdaneta (cuba), thobos lubamba (congo, estados unidos), rafael santa cruz (perú), nicolás arnicho (uruguay), daniel “tatita” márquez (uruguay), hugo alcázar (perú), juan medrano cotito (perú), nei sacramento (brasil). carlo também é fundador da associação civil tocolobombo, que se dedica à pesquisa e desenvolvimento de atividades percussivas. através desta associação foi organizador o festival internacional de percussão “rosario repercute”.


compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email