como diria dylan …

…os tempos estão mudando… e com ele, a gente, os jeitos de fazer política, de viver, de sentir. tem gente que viaja pra conhecer de perto as pessoas, os lugares. tem gente que viaja de moto, por exemplo. como o argentino daniel barbero, que com sua moto “la negra” esteve circulando pela pátria grande. confira aqui a rota que ele seguiu e aqui um bate papo dele com juan brizuela. e tem gente que compõe canções, que canta, que atua em nossa sensibilidade. feito bob dylan, que faz aniversario hoje e que recebe esta homenagem de artistas de diferentes latitudes, que com ele fazem a trilha sonora que inspira nossos dias.

[spoiler title=”jokerman” open=”0″ style=”1″]

o álbum de caetano veloso, circuladô vivo (1992), reúne 19 faixas registradas na turnê deste projeto. nesse disco, caetano interpreta  a canção “jokerman” de bob dylan. o folk-rock de dylan influenciou boa parte dos músicos brasileiros. no livro verdade tropical, o cantor e compositor baiano fala sobre a  importância do músico estadunidense para a cultura daquele século: “ele é uma figura a um tempo central e à parte no panorama dos anos 60 – e um traço forte do século. um dos mais impressionantes exemplos da pujança criativa da cultura popular americana tout court”. assista ao vídeo de “jokerman” e  leia abaixo um trecho do livro verdade tropical sobre o que ele chama de “três trópicos da tropicália”: stones, beatles e dylan.

http://www.youtube.com/watch?v=TOPNUX7KiS8

[quote style=”1″]

Bob Dylan não era um fenômeno comercial como os Beatles, mas, de certa forma, era mais conhecido do que os Rollings Stones no Brasil quando essas novidades nos foram apresentadas. Os Stones podiam Ter tido “Satisfaction” nas paradas, mas Dylan já tinha admiradores seletos havia muito mais tempo. Lembro mesmo de ouvir um lado inteiro de um LP seu com Toquinho, em sua casa, na época que saímos, ele, Chico e eu, por São Paulo, entes de eu me mudar para lá. Toquinho queria minha opinião, pois lhe parecia demasiadamente enfadonho um disco – segundo lembro de ouvi-lo frisar – com todas as músicas cantadas e tocadas no mesmo tom. Achei curiosa a voz fanha e o jeito sujo de tocar violão e gaita. Não entendia nada das letras e terminei por me aborrecer também. Agora, o tropicalismo estabelecido, eu ouvia e reouvia maravilhado Bringing it all back home, que Peticov me recomendara. Até hoje, esse é o disco de Dylan que mais me emociona. Eu continuava a não entender quase nada das letras, mas a atmosfera, a emissão vocal, o bem captado desleixo, o timbre geral de seu trabalho me enriqueciam com sugestões inqualificáveis. O que mais me ficava era a impressão de riqueza de textura, de sofisticação alcançada sem o esforço de elaboração dos Beatles. (…) Mas não se pode dizer que eu preferisse Dylan aos Beatles. Eu sabia de sua respeitabilidade e seu som sugeria uma mente mais culta do que a dos melhores roqueiros ingleses, mas, comparados à verbosidade de suas canções caudalosas e à retórica que se adivinhava do que era inteligível nas letras (meu inglês era meramente ginasial), os Beatles pareciam muito mais construtivos e enxutos. Por outro lado, o experimentalismo ostensivo de Sargent Peper´s Lonely Hearts Club Band estava mais próximo não só do que fazíamos como dos grandes artistas que eu admirava, fossem eles Godard, Oswald, Augusto de Campos, João Cabral, Joyce, Lewis Carroll ou e. e. cummings. Embora os Beatles fossem obviamente mais ingênuos, Dylan parecia atrelado a uma concepção romântica do poeta, sem as incursões (explícitas) pela metalinguagem, pelo atonalismo e pelo concretismo que os Beatles apresentavam. Além disso, nunca me senti atraído pelo ambiente country americano, do qual ele tanto se aproximou. Até hoje, no entanto, a densidade de Dylan me interessa e sua personalidade artística me apaixona. (…) Ele é uma figura a um tempo central e à parte no panorama dos anos 60 ‑ e um traço forte do século. Um dos mais impressionantes exemplos da pujança criativa da cultura popular americana, da cultura americana tout court. No momento em que os ingleses dominavam o jogo com sua versão do rock’n’roll do lado de lá do Atlântico, do lado de cá Dylan já apresentava o espessamento desse caldo em que Beatles e Rolling Stones beberam, mostrando onde está a nascente e de onde jorra a energia. E a gente sabe que Hendrix deve a ele tudo o que não deve aos grupos ingleses (embora deva “tudo” ao público inglês).

http://tropicalia.com.br

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”negro amor” open=”0″ style=”1″]

é uma versão de caetano veloso e péricles cavalcanti para a “it’s all over now, baby blue”, composta por bob dylan em 1965. essa canção é considerada uma das famosas versões de bob dylan no brasil e fez sucesso na voz da cantora gal costa no disco caras e bocas (1977). logo depois, foi regravada no álbum tchau radar pela banda de rock engenheiros do hawaii, em 1999. confira letra da canção.

[quote style=”1″]

Vá, se mande, junte tudo que você puder levar
Ande, tudo que parece seu é bom que agarre já
Seu filho feio e louco ficou só
chorando feito fogo à luz do sol
Os alquimistas já estão no corredor
e não tem mais nada negro amor

A estrada é pra você e o jogo é a indecência
junte tudo que você conseguiu por coincidência
e o pintor de rua que anda só
desenha maluquice em seu lençol
sob seus pés o céu também rachou
e não tem mais nada negro amor

Seus marinheiros mareados abandonam o mar
seus guerreiros desarmados não vão mais lutar
seu namorado já vai dando o fora
levando os cobertores? E agora?
até o tapete sem você voou
e não tem mais nada negro amor
e não tem mais nada…

As pedras do caminho deixe para trás
esqueça os mortos que não levantam mais
o vagabundo esmola pela rua
vestindo a mesma roupa que foi sua
risque outro fósforo, outra vida, outra luz, outra cor
e não tem mais nada negro amor
e não tem mais nada negro amor
e não tem mais nada negro amor
e não tem mais nada negro amor

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”o amanhã é distante” open=”0″ style=”1″]

versão da canção “tomorrow is a long time”, de  bob dylan, feita por geraldo azevedo e babau, em 1986. esta canção foi regravada em  2008 por zé ramalho no disco que lançou em homenagem a bob dylan, chamado zé ramalho canta bob dylan – tá tudo mudando, com versões do ídolo.

[quote style=”1″]

E se hoje não fosse essa estrada
Se a noite não tivesse tanto atalho
O amanhã não fosse tão distante
Solidão seria nada pra você
Se ao menos o meu amor estivesse aqui
E eu pudesse ouvir o seu coração
Se ao menos mentisse ao meu lado
Estaria em minha cama… outra vez
Meu reflexo não consigo ver na água
Nem fazer canções sem nenhuma dor
Nem ouvir o eco dos meus passos
Nem lembrar meu nome quando alguém chamou
Se ao menos o meu amor estivesse aqui
E eu pudesse ouvir o seu coração
Se ao menos mentisse ao meu lado
Estaria em minha cama… outra vez
A beleza no rio do meu canto
A beleza em tudo o que há no céu
Porém nada com certeza é mais bonito
Quando lembro dos olhos do meu bem

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”como diria dylan” open=”0″ style=”1″]

canção do disco estradas (1980), de zé geraldo. O cantor explica o título da canção: “quando acabei de escrever a letra, mostrei-a para um amigo em um bar e ele me disse que o Bob Dylan escreveria essa música”. zé geraldo é um cantor e compositor nascido em minas gerais com mais de 30 anos de carreira e 16 discos lançados, fora coletânea e compactos.  o country  misturado ao  rock é uma característica do seu repertório, que o aproxima do estilo musical de bob dylan. segundo zé geraldo, a influência do cantor estadunidense é visível no seu trabalho, mas ressalta as particularidades da música brasileira na sua produção.

[quote style=”1″]

Hei você que tem de 8 a 80 anos
Não fique aí perdido como ave
sem destino
Pouco importa a ousadia dos seus planos
Eles podem vir da vivência de um ancião
ou da inocência de um menino
O importante é você crer
na juventude que existe dentro de você

Meu amigo meu compadre meu irmão
Escreva sua história pelas suas próprias mãos

Nunca deixe se levar por falsos líderes
Todos eles se intitulam porta vozes da razão
Pouco importa o seu tráfico de influências
Pois os compromissos assumidos quase sempre
ganham subdimensão
O importante é você ver o grande líder que existe
dentro de você

Meu amigo meu compadre meu irmão
Escreva sua história pelas suas próprias mãos

Não se deixe intimidar pela violência
O poder da sua mente é toda sua fortaleza
Pouco importa esse aparato bélico universal
Toda força bruta representa nada mais do que
um sintoma de fraqueza.
O importante é você crer nessa força incrível
que existe dentro de você

Meu amigo meu compadre meu irmão
Escreva sua história pelas suas próprias mãos

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”eu tambem vou reclamar” open=”0″ style=”1″]

canção de raul seixas que faz parte do álbum há 10 mil anos atrás (1976). esse disco traz canções que se tornaram clássicos na história da música brasileira. raul seixas foi o cantor baiano que se destacou na cena do rock nacional que emergia no final dos anos 50. neste período, o rock vindo dos estados unidos influenciava os músicos brasileiros e talvez não fosse diferente com raul, conforme o próprio cantor destaca na letra de “eu também vou reclamar” – “já passei por elvis presley, imitei mr. bob dylan, you know …” confira a letra e o vídeo da canção.

[quote style=”1″]

Mas é que se agora
Pra fazer sucesso
Pra vender disco
De protesto
Todo mundo tem
Que reclamar
Eu vou tirar
Meu pé da estrada
E vou entrar também
Nessa jogada
E vamos ver agora
Quem é que vai guentar
Porque eu fui o primeiro
E já passou tanto janeiro
Mas se todos gostam
Eu vou voltar
Tô trancado aqui no quarto
De pijama porque tem
Visita estranha na sala
Aí eu pego e passo
A vista no jornal
Um piloto rouba um “mig”
Gelo em Marte, diz a Viking
Mas no entanto
Não há galinha em meu quintal
Compro móveis estofados
Me aposento com saúde
Pela assistência social
Dois problemas se misturam
A verdade do Universo
A prestação que vai vencer
Entro com a garrafa
De bebida enrustida
Porque minha mulher
Não pode ver
Ligo o rádio
E ouço um chato
Que me grita nos ouvidos
Pare o mundo
Que eu quero descer
Olhos os livros
Na minha estante
Que nada dizem
De importante
Servem só prá quem
Não sabe ler
E a empregada
Me bate à porta
Me explicando
Que tá toda torta
E já que não sabe
O que vai dá prá mim comer
Falam em nuvens passageiras
Mandam ver qualquer besteira
E eu não tenho nada
Prá escolher
Apesar dessa voz chata
E renitente
Eu não tô aqui
Prá me queixar
E nem sou apenas o cantor
Que eu já passei
Por Elvis Presley
Imitei Mr. Bob Dylan, you know…
Eu já cansei de ver
O Sol se pôr
Agora eu sou apenas
Um latino-americano
Que não tem cheiro
Nem sabor
E as perguntas continuam
Sempre as mesmas
Quem eu sou?
Da onde venho?
E aonde vou, dá?
E todo mundo explica tudo
Como a luz acende
Como um avião pode voar
Ao meu lado um dicionário
Cheio de palavras
Que eu sei que nunca vou usar
Mas agora eu também resolvi
Dar uma queixadinha
Porque eu sou um rapaz
Latino-americano
Que também sabe
Se lamentar
E sendo nuvem passageira
Não me leva nem à beira
Disso tudo
Que eu quero chegar
-E fim de papo!

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”um dia você vai servir a alguém” open=”0″ style=”1″]

releitura de vitor ramil da canção de bob dylan “gotta serve somebody”. vitor ramil já realizou, pelo menos, três releituras de canções de dylan; além de “um dia você vai servir alguém”, ramil gravou “só você manda em você”, baseado em “You’re big girl now”, e “joquim”, sua versão para “Joey”. “um dia você vai servir a alguém” é  a quarta faixa do álbum tambong (2000).

[quote style=”1″]

Você pode ser rei no país do futebol
Pode ser viciado em bingo e nunca ver a luz do sol
Você pode ser um mago e vender livros de montão
Pode ser uma socialite, enriquecer vendendo pão

Mas um dia vai servir a alguém, é
Um dia vai servir a alguém
Seja ao diabo
Ou seja a Deus
Um dia você vai servir a alguém

Pode ser incendiário e fazer um índio arder
Você pode ser o índio vendo a chama acender
Pode ser um bom ladrão, pode ser um mau juiz
Pode ter um passado limpo, pode ter uma cicatriz

Mas um dia vai servir a alguém, é
Um dia vai servir a alguém
Seja ao diabo
Ou seja a Deus
Um dia você vai servir a alguém

Você pode estar na mídia sem saber porque
Você pode ser dono de uma rede de TV
Você pode dar o fora tendo tudo pra ficar
Adotar um nome diferente, você pode mesmo se isolar

Mas um dia vai servir a alguém, é
Um dia vai servir a alguém
Seja ao diabo
Ou seja a Deus
Um dia você vai servir a alguém

Você pode trabalhar na construção civil
Pode estar desempregado, com a vida por um fio
Você pode ter poder, fazer coisas que ninguém fizer
Pode ter mulheres numa jaula, pode ter as drogas que quiser
Mas um dia vai servir a alguém, é
Um dia vai servir a alguém
Seja ao diabo
Ou seja a Deus
Um dia você vai servir a alguém

Você pode desejar a cura com Lacan
Você pode procurar os serviços de um xamã
Você pode ser um pregador, chutar os santos do altar
Você pode ter um bom discurso, você pode nem saber falar

Mas um dia vai servir a alguém, é
Um dia vai servir a alguém
Seja ao diabo
Ou seja a Deus
Um dia você vai servir a alguém

Você pode ser demente, pode ser doutor
Você pode ser sincero, pode ter rancor
Você pode ser um crente, você pode ser ateu
Pode ser um leitor vaidoso ou uma miss que nunca leu

Mas um dia vai servir a alguém, é
Um dia vai servir a alguém
Seja ao diabo
Ou seja a Deus
Um dia você vai servir a alguém

Você pode ser turco, pode ser nissei
Pode estar ali na esquina, estar onde jamais pensei
Você pode me adular, você pode me esquecer
Você pode estar me ouvindo agora, você pode mesmo nem saber

Mas um dia vai servir a alguém, é
Um dia vai servir a alguém
Seja ao diabo
Ou seja a Deus
Um dia você vai servir a alguém

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=” super héroes” open=”0″ style=”1″]

canção presente no álbum yo y ya, (2010), de carlos palacio, compositor, cantor e guitarrista colombiano que reside em buenos aires. pala, como também é conhecido, desistiu da carreira de médico para se dedicar à música. em 2010, o álbum yo y ya foi eleito pela revista colombiana semana como um dos 10 melhores álbuns de 2010. confira abaixo a letra da canção.

[quote style=”1″]

súper héroes que son super héroes y más,
súper héroes si capa ni altar,
súper héroes que mueren, que saben llorar,
súper gente tan súper real.
personas que eligen la banca atrás, que incluyen al otro en sus planes,
los ecologistas que nunca jamás salieron en animal planet.
poeta en miami, feminista en irán, floristas en pueblos chechenos,
ateos en texas o en islamabad sufriendo el rencor de “los buenos”.
tanto ejemplo para seguir.
los hackers de sherwood que eligen robar a bancos y a malos patrones,
los hombres que besan sin miedo a papá, papás que regalan condones.
travestis que miran de frente al dolor detrás de sus ojos barrocos,
mujeres que gritan “¡mi dueña soy yo: me quiero, me mando, me toco!”
tanta gente para imitar.
súper héroes que son super héroes y más,
súper héroes si capa ni altar,
súper héroes que mueren, que saben llorar,
súper gente tan súper real.
doctores que buscan calmar el dolor y no derrotar a la muerte,
pacientesque aceptan que el cuento acabó y piden que no los despierten.
los dawkins, los yunus y los baudelaire, los maicoles moore, los vallejos,
y aquellos que alzando la luz del placer rehúsan morirse de viejos.
tanta chispa de humanidad.
súper héroes que son super héroes y más,
súper héroes si capa ni altar,
súper héroes que mueren, que saben llorar,
súper gente tan súper real.

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”tiempo de hibridos” open=”0″ style=”1″]

conhecida também como “El rancho electrónico”, é uma canção de rodrigo gonzález, importante nome do rock mexicano. apelidado de rockdrigo, fez parte, juntamente com outros artistas, do coletivo rupestre, movimento musical e literário dos anos 80. o colectivo rupestre de los cantantes errantes distanciava-se dos sons eletrônicos e equipamentos sofisticados, incorporando elementos do campo e da cidade, e aproximando-se do folk. a canção “tiempos de híbridos” está no cd el profeta del nepal, álbum lançado após a morte do artista, que faleceu em um terremoto na cidade do méxico, em 1985.  confira abaixo a letra e o vídeo da canção, e se quiser saber mais sobre o colectivo rupestre, acesse aqui 

[quote style=”1″]

Era un gran rancho electrónico
con nopales automáticos
con sus charros cibernéticos
y sarapes de neón.

Era un gran pueblo magnético
con Marías ciclotrónicas
tragafuegos supersónicos
y su campesino sideral.

Era un gran tiempo de híbridos
era medusa anacrónica
una rana con sinfónica
en la campechana mental.

Era un gran sabio rupéstrico
de un universo doméstico
pithecanthropus atómico
era líder universal.

Había frijoles poéticos
y también garbanzos matemáticos
en los pueblos esqueléticos
con sus guías de pedernal.

Era un gran tiempo de híbridos
de salvajes y científicos
panzones que estaban tísicos
en la campechana mental

En la vil penetración cultural…
En el agandalle transnacional…
En lo oportuno norteño imperial…
En la desfachatez empresarial…
En el despiporre intelectual…
En la vulgar falta de identidad…

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”tan joven y tan viejo” open=”0″ style=”1″]

canção composta por joaquín Sabina, interpretada pelo cubano carlos varela no cd habana canta sabina, álbum gravado em havana e lançado em 2011 que homenageia o cantor e compositor espanhol. confira a letra da canção e  o vídeo em que sabina fala sobre a sua relação com o trabalho de dylan.

[quote style=”1″]

lo primero que quise fue marcharme bien lejos;
en el álbum de cromos de la resignación
pegábamos los niños que odiaban los espejos
guantes de rita hayworth, calles de nueva york.

apenas vi que un ojo me guiñaba la vida
le pedí que a su antojo dispusiera de mí,
ella me dió las llaves de la ciudad prohibida
yo, todo lo que tengo, que es nada, se lo dí.

así crecí volando y volé tan deprisa
que hasta mi propia sombra de vista me perdió,
para borrar mis huellas destrocé mi camisa,
confundí con estrellas las luces de neón.

hice trampas al póker, defraudé a mis amigos,
sobre el banco de un parque dormí como un lirón;
por decir lo que pienso sin pensar lo que digo
más de un beso me dieron (y más de un bofetón).

lo que sé del olvido lo aprendí de la luna,
lo que sé del pecado lo tuve que buscar
como un ladrón debajo de la falda de alguna
de cuyo nombre ahora no me quiero acordar.

así que, de momento, nada de adiós muchachos,
me duermo en los entierros de mi generación;
cada noche me invento, todavía me emborracho;
tan joven y tan viejo, like a rolling stone.

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”crímenes perfectos” open=”0″ style=”1″]

do cantor e compositor andrés calamaro, faz parte cd alta suciedad (1997), a primeira produção solo do artista depois da dissolução de los rodríguez, grupo espanhol do qual fazia parte e que teve grande sucesso na década de 90. andrés calamaro é um cantor argentino de rock  cuja trajetória artística inclui a participação em diversas bandas, como raíces, los abuelos de la nada e los rodríguez. também atuou como produtor e tinha um programa de rádio chamado bienvenidos al hotel.

[quote style=”1″]

sentiste alguna vez lo que es, tener el corazón roto?,
(sentiste) a los asuntos pendientes volver, hasta volverte (muy) loco?;
si resulta que si, si podrás entender, lo que me pasa a mi esta noche;
ella no va a volver y la pena me empieza a crecer (adentro),
la moneda callo por el lado de la soledad y el dolor;
todo lo que termina, termina mal, poco a poco,
y si no termina se contamina mal, y eso se cubre de polvo;
me parece que soy de la quinta que vio el mundial setenta y ocho,
me toco crecer viendo a mi alrededor paranoia y dolor,
la moneda callo por el lado de la soledad (otra vez);
no me lastimes con tus crímenes perfectos,
mientras la gente indiferente se da cuenta,
de vez en cuando solamente sale afuera la peor madera;
si resulta que si, si podrás entender, lo que me pasa a mi esta noche;
ella no va a volver y la pena me empieza a crecer (adentro),
la moneda callo por el lado de la soledad (y el dolor)
la moneda callo por el lado de la soledad (otra vez),
la moneda callo por el lado de la soledad.

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”todas las aves del sur” open=”0″ style=”1″]

canção do cantor e compositor espanhol fabián, com a participação de quique gonzález. nascido em león, fabián é um destaque no cenário folk-rock daquelas latitudes. a canção “todas las aves del sur” está presente no último álbum lançado pelo artista, (la brisa leve) la luz distinta (2013), que está à venda em formato digital aqui. confira o vídeo da canção.

 

[/spoiler] [spoiler title=”hombres de hierro” open=”0″ style=”1″]

canção do argentino león gieco. com mais de 40 discos gravados, o artista é reconhecido não apenas por seus projetos musicais, mas também por seu envolvimento em causas sociais, como a associação madres de plaza de mayo, o grupo h.i.j.o.s de desaparecidos, campesinos sin tierra e o greenpeace. león gieco já foi considerado o “bob dylan argentino” e chegou a dividir o palco com o artista estadunidense em sua passagem por buenos aires. “hombres de hierro” é uma das canções mais famosas de león gieco, que foi escrita em homenagem a trabalhadores mortos em um protesto nas ruas de mendoza, cidade argentina. está presente no cd león gieco (1973) primeiro álbum lançado pelo cantor e compositor. confira a letra e vídeo abaixo.

[quote style=”1″]

larga muchacho tu voz joven

como larga la luz el sol
que aunque tenga que estrellarse
contra un paredón
que aunque tenga que estrellarse
se dividirá en dos
suelta muchacho tus pensamientos
como anda suelto el viento
sos la esperanza y la voz que vendrá
a florecer en la nueva tierra
hombres de hierro que no escuchan la voz
hombres de hierro que no escuchan el grito
hombres de hierro que no escuchan el llanto
gente que avanza se puede matar
pero los pensamientos quedarán
puntas agudas ensucian el cielo
como la sangre en la tierra
dile a esos hombres que traten de usar
a cambio de las armas su cabeza
hombres de hierro que no escuchan la voz
hombres de hierro que no escuchan el grito
hombres de hierro que no escuchan el llanto
gente que avanza se puede matar
pero los pensamientos quedarán.

[/quote] [/spoiler] [spoiler title=”positively 4th street ” open=”0″ style=”1″]

é uma canção de bob dylan, gravada em 1965 e lançada como single no mesmo ano. aqui apresentamos a versão de charly garcía, artista argentino referência no cenário do rock no país, que foi o fundador das bandas de rock sui géneris e serú girán. garcía gravou em 1995 o álbum casandra lange, nome que também batizou a banda formada para a ocasião. além da canção “positively 4th street”, estão presentes no cd covers de dos beatles e dos rolling stones. confira abaixo a letra da canção.

[quote style=”1″]

you got a lotta nerve
to say you are my friend
when i was down
you just stood there, grinning

you got a lotta nerve
to say you gota helping hand to lend
you just want to be on
the side that’s winning

you say i let you down
you know it’s not like that
if you’re so hurt
why then don’t you show it?

you say you lost your faith
but that’s not where it’s at
you had no faith to lose
and you know it

i know the reason
that you talk behind my back
i used to be among the crowd
you’re in with

do you take me for such a fool
to think i’d make contact
with the one who tries to hide
what he don’t know to begin with

you see me on the street
you always act surprised
you say “how are you?”, “good luck”
but you don’t mean it

when you know as well as me
you’d rather see me paralyzed
why don’t you just come out once
and scream it

no, i do not feel that good
when i see the heartbreaks you embrace
if i was a master thief
perhaps i’d rob them

and now i know you’re dissatisfied
with your position and your place
don’t you understand
it’s not my problem

i wish that for just one time
you could stand inside my shoes
and just for that one moment
i could be you

yes, i wish that for just one time
you could stand inside my shoes
you’d know what a drag it is
to see you

[/quote] [/spoiler]

compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email