comunicado guarani kaiowá contra a ordem de prisão de leonardo

“leonardo somos todos nós kaiowa guarani.”

como guarani kaiowa, do tekoha dourado amambai peguá i, queremos informar ao povo brasileiro sobre a nossa decisão de não aceitar a ordem de prisão decretada para o nosso parente leonardo — kunumi jeroky iteva mitan mogaraivy.

esse parente é o pai de clodiode aquileu rodrigues de souza, que foi assassinado pelos fazendeiros, no dia 14 de junho deste ano, durante o ataque à retomada de kunumi verá, no município de caarapó, no mato grosso do sul. ele está sendo acusado de um crime que não cometeu. no momento que mataram clodiode e balearam seis parentes, a comunidade ficou revoltada e com isso queimou uma viatura da polícia militar e uma colheitadeira dos fazendeiros, que havia entrado na área da aldeia tey kue. esse ato foi a expressão da revolta de todos nós, não de um só. todos os guarani kaiowa resistiram ao ataque dos fazendeiros, e se revoltaram também contra a polícia, que não impediu que o ataque acontecesse. agora querem criminalizar a nossa revolta e prender o pai do nosso guerreiro assassinado pelos fazendeiros.

a polícia federal e a polícia militar já haviam estado na área da retomada no dia anterior, constatado a ameaça dos fazendeiros, e nada fez para impedir o ataque. por isso a nossa revolta. portanto, não aceitaremos a prisão de nenhum de nós. nem do nosso parente que está com ordem de prisão decretada, nem de nenhum guarani kaiowa. nós não somos assassinos, somos um povo que guerreiro luta pela vida. somos todos leonardo, leonardo somos todos nós. se quiserem prender alguém terão que fazer uma cela que caiba dez mil e quinhentos guarani kaiowa da aldeia tey kue, e de todos os territórios retomados.

por ultimo, queremos esclarecer ao representante do ministério público federal, em dourados, no mato grosso do sul, que nos disse que se nós não entregássemos o nosso parente leonardo, todos da comunidade poderiam ser responsabilizadas por resistência à prisão. pois bem, já dissemos que se quiserem prender alguém, que construam uma cela que caiba dez mil e quinhentos guarani kaiowa.

nosso parente não é um criminoso, e nós não somos criminosos por lutar por nossa território ancestral. a justiça não é cega, o problema é que ela só vê só com um olho. muitos de nós já foram mortos e nenhum fazendeiro nunca foi condenado. há apenas dois dias, prenderam quatro fazendeiros que nos atacaram e que mataram clodiode. ficamos felizes com este ato da justiça, mas estamos atentos para ver se estas prisões resultarão na condenação desses assassinos, de modo que nenhum fazendeiro se atreva mais a matar um kaiowa.

agosto, 2016
território kunumi verá
aldeia tey kue


compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email