documentário “do corpo à caxirola – uma viagem pelos instrumentos tradicionais brasileiros”

documentário inspirado na coleção de instrumentos musicais de emília biancardi estreia dia 2 de agosto

“do corpo à caxirola” convida artistas, comunidades e estudiosos a refletirem sobre as intersecções entre música tradicional e contemporânea

música, cultura e tradição integram o documentário “do corpo à caxirola – uma viagem pelos instrumentos tradicionais brasileiros”, que será lançado no dia 2 de agosto (terça), às 19h, na sala de arte do cinema do museu geológico da bahia. inspirado na coleção de instrumentos tradicionais reunidos pela etnomusicóloga e pesquisadora de música folclórica brasileira, emília biancardi, o filme tem roteiro e direção assinados pela cineasta sophia mídian e foi aprovado no edital setorial de museus do fundo de cultura, através da secretaria de cultura do estado da bahia (secult). o evento é aberto ao público.

o documentário dá continuidade à pesquisa iniciada pela diretora em parceria com a pesquisadora colombiana maria gabriela gomez e a produtora executiva do projeto, gina reis, durante o mestrado no programa multidiscilplinar de pós – graduação em cultura e sociedade da ufba, onde foram colegas de turma. a pesquisa investiga as atualizações da música tradicional na contemporaneidade e tem como objetivo provocar uma reflexão sobre a importância da manutenção das tradições e de sua valorização. o filme será utilizado como material didático em escolas e acervo de pesquisa em universidades e demais instituições, além de ser remetido a festivais de cinema nacionais e internacionais e prever a exibição em tv’s públicas.

o filme também propõe discutir processos criativos, resgatar expressividades musicais na cultura popular e refletir a indústria cultural no campo da música. entre os convidados que participam do filme estão a etnomusicóloga emília biancardi e o músico carlinhos brown, homenageado por emília na criação do caxixi brown. também fizeram parte do documentário lideranças e integrantes da banda olodum; os professores dr. milton moura (ufba) e juan carlos peña (universidade estadual do amazonas); o povoado de mundo novo, representando o samba chula; e comunidades indígenas da região amazônica, na fronteira entre brasil e colômbia.

a riqueza da coleção de instrumentos musicais de emília biancardi serve de mote para o propósito do filme em investigar a relação de artistas com a criação e de um povo com a expressividade musical, onde o instrumento é o meio pelo qual a comunicação ocorre. compõem o acervo do solar ferrão mais de 1.000 peças coletadas ao redor do mundo, provenientes das mais diversas culturas materiais. o acervo abriga ainda instrumentos elaborados e recriados pela pesquisadora para seus próprios projetos e espetáculos, com os quais ela rege, por exemplo, a orquestra museofônica da bahia, composta por funcionários do solar ferrão. “seja conservando resquícios de sua originalidade ou sofrendo sofisticações e apropriações, o instrumento musical atravessa o tempo”, destaca a diretora sophia mídian.


compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email