poemas de elizandra souza

elizandra souza é jornalista, escritora e poetisa. nascida no jardim iporanga, zona sul de são paulo, até os 13 anos foi criada no interior da bahia. elizandra é responsável pela criação do mjiba – jovens mulheres negras em ação, que por meio de fanzines e atividades artísticas conta a história do povo negro. abaixo, conheça alguns de seus poemas.

 

 

MenstruAção
Sangre mais uma vez!
Expele do teu corpo
expele do teu corpo
o embrião fecundado
Junte todo o amargor
e sangre outra vez!

É dolorido,
mas sinta com intensidade essa cólica
esse mal estar,
mas sangre mais uma vez!

Sangre nessa hipócrita sociedade,
junte todas as dores expelidas,
retire da calcinha
esse absorvente encharquecido
E jogue fora todos esses sangrados.

Mas Menstrue e Ação!

 

 

Águas da Cabaça

“Esse fruto seco que tudo carrega
Elixir dos deuses e do diabo
Águas para o banho
Águas que matam a sede
É vida, é ventre

Quando pensam que morri
Renasço nas mãos de uma mulher

Ser cabaça, ser fértil
simples, discreta
suave, dura e impermeável

Reverberar o som com suas sementes”

 

 

Comigo-Ninguém-Pode

“Assentei no meu portão
Uma erva poderosa
Planta milagreira
De banir Olho de Seca Pimenteira
Para reforçar Espada de São Jorge
Arruda e Alecrim
Não há olho gordo que me derrube
Não há mal que me assole
Pois na minha casa o que não falta
É Comigo-Ninguém-Pode”

fonte: http://www.afreaka.com.br/notas/mulher-negra-centro-da-poesia-de-elizandra-souza/

http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/sao_paulo/elizandra_souza.html


compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email