ritmos negros del perú

zamacueca, landó, panalivio, festejo, alcatraz… já ouviu falar? pois é, nesta edição a gente destaca alguns dos belos ritmos da tradição musical afro-peruana. e quem conversa com a gente sobre estes ritmos e especialmente sobre o cajón peruano é nosso querido amigo chocolate riveros, músico peruano radicado em salvador que anima a cena musical da cidade com shows e oficinas de música afrolatino-americana e de salsa. confira também nesta edição os poemas de don nicomedes santa cruz e informações sobre o sexto festival internacional del cajón peruano, que acontece entre os dias 8 e 20 de abril, em lima, no peru.

confira as canções e os artistas desta edição

[spoiler title=”tutuma don toto” open=”0″ style=”1″]

composição do cantor, compositor e produtor miki gonzález incluída  do cd akundun (1993). esta canção narra faz referência à  festa na casa de don amador ballumbrosio (na localidade de el carmen, ao sul de lima), que é acompanhada por música e pela bebida tutuma, uma bebida alcóolica, fabricada a partir da fruta de mesmo nome.

[/spoiler] [spoiler title=”variaciones de festejo no. 3″ open=”0″ style=”1″]

de rafael santa cruz. nascido numa família de tradição musical, rafael santa cruz iniciou sua carreira aos 14 anos, participando na gravação do álbum socavón, de nicomedes santa cruz. fundou o grupo “hermanos santa cruz & afroperú” e hoje atua como músico, professor e pesquisador da cultura afro-peruana. o músico é um importante estudioso do cajón, e organiza em lima o festival internacional del cajón peruano. leia uma entrevista em que rafael santa cruz fala sobre o cajón.


[/spoiler] [spoiler title=”zapateo” open=”0″ style=”1″]

do cd ritmos negros del perú, de nicomedes santacruz, músico peruano que levou a cultura do seu país a diferentes lugares do mundo. originário de danças africanas, o zapateo afro-peruano é uma disputa entre dançarinos ao ritmo do cajón e do violão. divide-se em “zapateo menor” e “zapateo mayor”, classificação feita graças ao trabalho de vicente vásquez, continuador  do trabalho de seu pai, don porfírio vásquez.

[/spoiler] [spoiler title=”zamacueca (fragmento)” open=”0″ style=”1″]

de rafael santa cruz, em el cajón afroperuano, um projeto que inclui um livro e um cd que recolhe 19 canções interpretadas por diferentes cajoneros peruanos.  conheça mais sobre a zamacueca no vídeo abaixo. e veja uma apresentação de música e dança de zamacueca.

[/spoiler] [spoiler title=”trío de maderas (landó)” open=”0″ style=”1″]

por rafael santa cruz. além dele próprio no cajón, rafael conta aqui com cotito (cajón) e com mariano (cajón padre).

[/spoiler] [spoiler title=”homenaje a ronaldo (landó)” open=”0″ style=”1″]

por rafael santa cruz, que conta com a participação dos cajoneros balcazar e mangue. além do landó, aproveite para conferir também os diferentes ritmos afro-peruanos que rafael santa cruz apresenta no seu canal oficial de youtube.

[/spoiler] [spoiler title=”panalivio (fragmento)” open=”0″ style=”1″]

mais uma composição presente no cd el cajón afroperuano, de rafael santa cruz. em panalivio, rafo (cajón), conta com o músico ronald no violão.

[/spoiler] [spoiler title=”pobre malató (panalivio)” open=”0″ style=”1″]

do cd ritmos y aires afroperuanos, de victoria santa cruz. a artista iniciou sua carreira em 1958 no grupo cumanana. depois de estudar na frança voltou ao peru e criou a companhia de teatro e danças negras, e hoje é reconhecida como uma das pesquisadoras mais importantes da cultura afroperuana. confira um trecho de um documentário realizado sobre esta artista e veja um vídeo de “pobre malató”, interpretada pelo grupo insurgentes.

[/spoiler] [spoiler title=”a que muevan la cola” open=”0″ style=”1″]

do cd ritmos y aires afroperuanos, de  victoria santa cruz, que  ao longo de sua carreira  tem se dedicado à difusão da cultura afro-peruana. em 1959 ela funda  o conjunto cumanana,  junto com seu irmão nicomedes santa cruz, em que revitaliza as tradições  da cultura afro-peruana. “a que muevan la cola” é um  alcatraz,  dança  alegre e sensual que deriva do festejo. confira a canção “a que muevan la cola’’ e  coreografia  no musical  la magia del ritmo, com direção de victoria santa cruz.

[/spoiler] [spoiler title=”a mi primo rafo” open=”0″ style=”1″]

composição incluída no cd el cajón afroperuano, de rafael santa cruz. “a mi primo rafo” é  uma bulería, um ritmo andaluz  acompanhado por  violão, dança e palmas . “a mi primo rafo” aqui conta com rafael santa cruz e marco (cajón e palmas) e ernesto hermoza (violão e palmas).

[/spoiler] [spoiler title=”patio custodio” open=”0″ style=”1″]

do cd cositas buenas (2004), do violonista espanhol paco de lucía,.  paco de lucia   e  o maestro carlos “caitro” soto foram os responsáveis por  introduzir o cajón na música espanhola,  na década de 70. o cajón flamenco, que acompanha  ritmos como a bulería, a rumba e o  tango, não se diferencia muito do cajón peruano, apenas ocorrem variações nos ritmos a partir da condução proposta pelo percussionistas. “patio custodio” é  uma bulería que traz a participação  da cantora espanhola de flamenco  montse cortés.

[/spoiler] [spoiler title=”tindué” open=”0″ style=”1″]

do álbum tiempo al tiempo (1999), de los activos,  grupo espanhol formado por seis integrantes por volta dos anos 80, que se propôs a explorar  as possibilidades da percussão na música flamenca, introduzindo instrumentos de diferentes países como o  cajón,  a pailas,  a darbuka, o pandeiro, entre outros.

[/spoiler] [spoiler title=”malunó” open=”0″ style=”1″]

de los activos, também do cd tiempo al tiempo (1999), que  reúne a combinação de ritmos flamencos com ritmos da música feita no egito, venezuela, república saharui, brasil, buscando ultrapassar as fronteiras musicais de seu país a partir das experimentações propostas nessas interações.

[/spoiler] [spoiler title=”camote” open=”0″ style=”1″]

do cd coba coba ,  do  novalima,  banda formada por músicos que viviam em diferentes países e ao se encontrar decidiram criar novas possibilidades sonoras a partir da combinação de elementos da música afro-peruana com elementos da música mais contemporânea, como a música eletrônica, o dub, o reggae. assista ao video do dançante “camote”.

[/spoiler] [spoiler title=”color” open=”0″ style=”1″]

do cd techarí (2006), de ojos de brujo. esta banda surge no final dos anos 90 na espanha  e traz como proposta musical  as experimentações, as mesclas entre gêneros da música espanhola, como a bulería e a rumba com o funk e o hip hop. assista ao vídeoclipe da canção.

[/spoiler]

compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email