traigo tragos

mojito, daiquiri, pisco sour, chicha, margarita, cuba libre, tequila são algumas das bebidas etílicas latinoamericanas. no programa de hoje vamos falar um pouco sobre algumas bebidas que se consomem aqui por nossas latitudes e, é claro, a trilha sonora não poderia ser outra que a música de bar.

 o mojito surgiu em cuba quando se sustituiu a aguardente pelo rum numa bebida conhecida como draquecito e popularizou-se em la bodeguita del medio, em la habana. o daiquiri também é um coquetel nascido em cuba, que surgiu a princípios do século xx nas proximidades da praia daiquirí. o pisco é a bebida nacional do peru cujo nome significa “pássaro” em quéchua. um dos coquetéis que se prepara com esta bebida é o pisco sour, uma mistura de pisco, limão, clara de ovo e açúcar. a chicha é uma variedade de bebida alcoólica derivada da fermentação do milho e outros grãos de américa. esta bebida faz parte de rituais e de festas em diversas comunidades andinas. a origem da bebida margarita é uma das mais polêmicas mas todo indica que foi no méxico. o cuba libre surgiu quando cuba conquistou sua independência ante espanha ajudada pelos estados unidos. misturando rum cubano com uma dose de coca-cola nasceu o símbolo da independência cubana naqueles anos. a tequila é um destilado originário da cidade do mesmo nome no estado de jalisco, no méxico. elabora-se a partir da fermentação do suco extraído do agave, principalmente do agave azul.

[spoiler title=”en el último trago” open=”0″ style=”1″]

canção de sucesso na voz da cantora mexicana chavela vargas, aqui ganha a interpretação de andrés calamaro. esta canção faz parte do cd dos (1996), com gravações  do artista realizadas entre os anos de 1984 e 1994. músico, cantor e compositor argentino, calamaro  começou sua carreira em meados de 1980, tocando teclado na banda los abuelos de la nada. posteriormente integrou o grupo los rodríguez. é considerado hoje um dos músicos mais importantes da argentina. confira a receita do mojito.

[/spoiler] [spoiler title=”la copa rota” open=”0″ style=”1″]

um bolero composto pelo portoriquenho benito de jesús, que integrou o trío vegabajeño, com fernandito álvarez e pepino maduro. esta versão foi interpretada por los rodríguez, banda hispanoargentina formada por andrés calamaro, ariel rot, julián infante e germán vilella.  esta canção foi incluída no segundo cd da banda pirata, editado em 1992.

[quote style=”1″]

aturdido y abrumado
por la duda de los celos
se ve triste en la cantina
un bohemio ya sin fe
con los nervios destrozados
y llorando sin remedio
como un loco atormentado por la ingrata que se fue
se ve siempre acompañado
del mejor de los amigos
que le acompaña y le dice
ya esta bueno de licor
nada remedia con llanto
nada remedia con vino
al contrario la recuerda
mucho mas su corazón

una noche como un loco
mordió la copa de vino
y le hizo un cortante filo
que su boca destrozo
y la sangre que brotaba
confundiese con el vino
y en la cantina este grito
a todos estremeció
no te apures compañero
si me destrozo la boca
no te apures que yo quiero
con el filo de esta copa
borrar la huella de un beso
traicionero que me dio

mozo, sírveme la copa rota
sírveme que me destroza
esta fiebre de obsesión
mozo, sírveme una copa rota
quiero sangrar gota a gota
el veneno de su amor

mozo, sírveme la copa rota
sírveme que me destroza
esta fiebre de obsesión
mozo, sírveme una copa rota
quiero sangrar gota a gota
el veneno de su amor

[/quote]

[/spoiler] [spoiler title=”canción para vagabundos” open=”0″ style=”1″]

a canção é um poema de raúl gonzález tuñón, que foi musicalizado e interpretado por ariel rot, com a participação de andrés calamaro e andy chango. ariel rot, com dezesseis anos, formou o grupo tequila e editou quatro discos. em 1983, começou sua carreira solo até 1990, quando passou a integrar o grupo los rodríguez. desde então, ariel mantém carreira solo, e já conta com seis cds lançados. “canción para vagabundos” está no cd lo siento, frank lançado em 2003.

[quote style=”1″]

salud a la cofradía, trotacalle y trotamundos
todo nos falta en el mundo, todo menos la alegría.
y viva la santa unión, de sin-ropas y sin-tierra
todo nos falta en la tierra todo menos la ilusión.
corto sueño y larga andanza, en constante despedida
todo nos falta en la vida, todo menos la esperanza.
amigos de las botellas pero poco del trabajo
todo nos falta aquí abajo, todo menos las estrellas.
inofensiva locura, sinrazón del vagabundo
todo nos falta en el mundo todo menos la sepultura.
prosigamos, si dios quiere nuestro camino de dios
pues siempre se dice adiós y una sola vez se muere.

[/quote]

[/spoiler]

[spoiler title=”salud, dinero y amor” open=”0″ style=”1″]

canção faz parte do cd duplo  intitulado calamaro querido! cantando al salmón (2006), uma homenagem ao cantor andres calamaro.  neste projeto,  os artistas convidados interpreram as canções de andres.  soledad pastorutti, uma das vozes  música popular na argentina, interpreta “salud, dinero y amor”. confira como se faz o daiquiri.

[/spoiler] [spoiler title=”y nos dieron las diez” open=”0″ style=”1″]

composta pelo espanhol joaquín sabina, que aos quatorze anos já manifestava sua paixão pela música. ele escrevia e  tocava  com os amigos. esta canção pertence ao décimo álbum do cantor física y química, lançado em 1992.

[/spoiler] [spoiler title=”con cuatro tragos” open=”0″ style=”1″]

canção composto e interpretada por héctor napolitano, um guitarrista e violonista  equatoriano cujo repertório inclui ritmos como o pasillo, o son, o bolero, o jazz e o blues.  confira também como se faz  o pisco sour.

[/spoiler]

[spoiler title=”pedro navaja” open=”0″ style=”1″]

um dos clássicos do cantor e compositor panamenho rubén blades, no seu álbum siembra (1978). a canção narra os últimos minutos de um criminoso e uma prostituta numa rua do “velho bairro” e aborda os temas da vida e a morte com um particular humor negro que bem caracterizou a salsa da década de setenta. confira o vídeo.

[/spoiler] [spoiler title=”el borracho” open=”0″ style=”1″]

canção composta por alex gonzález e fher, baterista e  vocalista da banda mexicana maná, grupo que combina em seu som o pop rock, o reggae e os ritmos afrolatinos.  esta canção pertence ao disco cuando los ángeles lloran, editado em 1995. logo abaixo, confira como se faz a cuba libre.

[/spoiler] [spoiler title=”la canción de los (buenos) borrachos” open=”0″ style=”1″]

canção composta e interpretada pelo espanhol joaquín sabina e o argentino fito Paez no disco enemigos íntimos, lançado em 1998. a parceria entre sabina e paez não transcendeu a gravação do cd, o qual, por problemas pessoais entre os artistas, não contou com turnê nem apresentação ao vivo. confira a receita da margarita.

[/spoiler]

[spoiler title=”el detalle” open=”0″ style=”1″]

do disco yo estuve ahí (2005) da banda argentina la mississipi. considerada uma das principais bandas de blues da américa latina, la mississipi iniciou sua carreira em 1993 interpretando um repertório em inglês e a partir do eu segundo disco, bagayo (1995) começou a trabalhar com letras em espanhol.

[/spoiler] [spoiler title=”vasos vacíos” open=”0″ style=”1″]

composição de fernández capello, da banda argentina los fabulosos cadillacs, do disco en vivo en buenos aires (1994). a banda, formada em 1895, teve como proposta a mistura diferentes ritmos como o rock, ska, jazz, tango, reggae. confira o vídeo de “vasos vacíos”.

[/spoiler]

compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email