tum cheque cheque tum tum

com tambores celebramos deuses, dias, vida. com tambores e cantos e danças celebramos a re-ligação com tudo. mas quando senhores de qualquer cor ou tempo ou lugar nos roubam ou proíbem tambores, que fazer? usar o corpo e a voz foi a saída. nesta edição, uma trilha sonora pra essa história em que se proíbem instrumentos e cantos, mas não se confisca a voz, a energia, a vitalidade.

[spoiler title=”interdiú” open=”0″ style=”1″]

os oito cubanos integrantes do vocal catarsis – gisela, karina, oriana, ruth, eduardo, guillermo, angel e ramón – têm formação musical superior no instituto de artes de havana. tendo como diferencial a substituição de instrumentos musicais pela voz, o grupo interpreta um repertório eclético, que contempla desde música erudita e melodias pop, até ritmos tradicionais do caribe, como a guaracha, o guaguancó, o bolero, a salsa, o cha-cha-chá e a rumba, e ritmos ritualísticos das religiões de matriz africana, como os cantos de santería yorubá, congo e arará.

[/spoiler] [spoiler title=”lyrics for rodolfo” open=”0″ style=”1″]

canção do disco en viaje (2007), lançado pelo trio mexicano muna zul. integrado por sandra cuevas, dora juárez e leika mochán, o muna zul se destaca por uma sonoridade que explora novas possibilidade sonoras ao utilizar somente recursos vocais e corporais. assista abaixo o trio cantando “lyrics for rodolfo”.

[/spoiler] [spoiler title=”danza de kwenyii” open=”0″ style=”1″]

de boca en boca é um quarteto vocal de câmara formado em 1995 por soledad escudero, alejandra tortosa, viviana pozzebón e marcela benedetti, em córdoba, argentina. o grupo produz um repertorio vocal folclórico e étnico, buscando elementos de ritmos e timbres próprios das transmissões orais das canções tradicionais. “danza de kwenyii” é uma canção do povo wapa, da nova caledônia, na oceania francesa e é um canto à esperança que representa o casamento para uma jovem.

[/spoiler] [spoiler title=”chacarera santiagueña” open=”0″ style=”1″]

de mariana baraj, cantora e percussionista argentina que tem experimentado combinar as tradições musicais de seu país com pop, jazz e música eletrônica. “chacarera santiagueña” é um ritmo originário da província de santiago del estero, na argentina, executado tradicionalmente com violão, bombo e violino. podem ser instrumentais ou cantadas em espanhol ou quíchua santiagueño. veja abaixo o vídeo desta canção em uma apresentação de mariana baraj no teatro paiol, em curitiba em 2011.

[/spoiler]

[spoiler title=”skarabush” open=”0″ style=”1″]

barbatuques é um grupo brasileiro de percussão corporal, criado em 1995 pelo músico paulistano fernando barba. atualmente é formado por 15 integrantes que se propõem a fazer música a partir do batuque com o próprio corpo, como palmas, batidas no peito, estalos com os dedos e a boca, assobios e sapateados, combinando ritmos do samba ao rap. “skarabush” está no disco o seguinte é esse (2005), segundo do grupo, que se apresentou este ano na 20.ª edição do percpan, em salvador.

[/spoiler] [spoiler title=”cumbia sin nombre” open=”0″ style=”1″]

canção do grupo cubano catarsis. formado por gisela, karina, oriana, ruth, eduardo, guillermo, angel e ramón, os cubanos do catarsis tiveram formação no instituto de artes de havana, e o grupo se destaca pelo uso da voz sem o acompanhamento dos instrumentos musicais. nos anos 90, em cuba, houve um destaque para grupos que cantavam a capella. catarsis foi um desses grupos que ganhou destaque na cena musical de cuba.

[/spoiler] [spoiler title=”para robar tu amor ” open=”0″ style=”1″]

outra canção de catarsis. o son, a guaracha, o danzón, o guaguancó são alguns dos ritmos tradicionais cubanos que fazem parte do repertório do grupo catarsis, que gravou o cd catarsis no brasil, oferecendo ao ouvinte um pouco da música feita em cuba.

[/spoiler] [spoiler title=”el almendron” open=”0″ style=”1″]

vocal sampling é um sexteto vocal formado em cuba por estudantes oriundos da escola nacional de arte de habana, que alcançaram não somente o sucesso, mas o reconhecimento em diferentes países. eles fizeram turnê nos estados unidos, participaram do 30º festival de jazz de montreux e fizeram apresentações nos países latino-americanos. “el almendron” faz parte do cd akapelleando.

[/spoiler] [spoiler title=”banana boat ” open=”0″ style=”1″]

banana boat é um “mento”, um dos ritmos da tradição musical jamaicana que faz parte da árvore genealógica do reggae, por exemplo. a versão que você ouve aqui foi feita pelo sexteto cubano vocal sampling e integra o cd akapelleando. a voz é o principal instrumento do grupo, que procura ampliar o repertório com a escolha de diferentes gêneros musicais, desde a música de câmara ao jazz e ao pop.
[/spoiler] [spoiler title=”pampa” open=”0″ style=”1″]

faz parte do cd mbira y pampa, de santiago vazquez. músico, multi-instrumentista, compositor, diretor e gestor de projetos culturais , santiago vazquez buscou neste cd unir a música africana com a música tradicional da argentina. não é a toa que o cd se chama mbira y pampa. mbira é um nome de um instrumento africano que neste trabalho de santiago vázquez se mescla aos sons dos instrumentos da música feita na argentina.

[/spoiler] [spoiler title=”kalimba toca” open=”0″ style=”1″]

a canção está no cd gongolô (2000) do artista soteropolitano dinho nascimento. o nome do álbum vem de uma expressão da língua quimbundo dos bantos de angola, e designa o emaranhado de pipas (ou arraias) no ar, fazendo assim uma analogia à sonoridade do artista que mistura diversos ritmos. a kalimba, instrumento musical que está presente na canção, tem sua origem no continente africano e leva diferentes nomes de acordo com a região. é considerado um idiofone, composto por um suporte de madeira com uma ou mais bocas e teclas de metal.

 [/spoiler]

[spoiler title=”1999-2002″ open=”0″ style=”1″]

canção de ribeaux vega, artista formado no instituto superior de arte, em la habana, e que se especializou em percussão. ganhou o primeiro prêmio no concurso amadeo roldan, trabalhou com a orquestra sinfônica nacional de cuba, além de tocar em diversos festivais de jazz nacionais e internacionais. “1999-2002”, faz parte do álbum yambambé.

[/spoiler] [spoiler title=”tam-tam” open=”0″ style=”1″]

canção do grupo taller de compas de almanjayar, que se encontra no cd cale calé. o taller de compás de almanjayar nasce do projeto sociocultural anaquerando gypsy association, que visa fomentar a convivência intercultural, e que está presente em alguns países da europa. a banda de percussão apresenta ritmos flamencos das ruas da cidade de granada, na espanha, mais precisamente do bairro periférico de almanjáyar, onde vivem os adolescentes que formaram o grupo. o álbum cale calé foi lançado em 2002 de forma independente.

[/spoiler] [spoiler title=”el hueso” open=”0″ style=”1″]

canção de petrona martinez, artista considerada uma das mais importantes vozes da música tradicional da colômbia. em suas canções há sempre uma forte presença de instrumentos percussivos e elementos da música afro colombiana. em 2003 foi indicada ao prêmio grammy por melhor álbum de música latina. a canção “el hueso” está presente no cd petrona bonito que canta.

[/spoiler] [spoiler title=”kora-son” open=”0″ style=”1″]

canção presente no cd the legend of cuban percussion, que pode ser considerado um tributo ao artista cubano carlos valdés, também conhecido como patato. ícone da música latina e do jazz, o percussionista cubano foi o responsável pela modernização da conga e destacou o papel dos congueiros. “kora-son” tem participação de samba mapangala, importante nome da música da áfrica oriental, e que esteve à frente das bandas les kinois e the orchestra virunga. um dos instrumentos presentes na canção é o korá, criado cerca de 1500 d.c no império mandinga de gabú, na guiné bissau. o korá tem um importante papel na cultura da região, está relacionado à educação, à saúde e à história do povo mandinga, e significa o “instrumento que abrange tudo”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[/spoiler]


compartilhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • RSS
  • PDF
  • Email